segunda-feira, 31 de março de 2014

IBUTG

Parâmetros do Ambiente e da Tarefa que Devem Ser Obtidos

Os sensores que veremos no índice que nos interessa, IBUTG, são:

Termômetro de bulbo Seco — é um termômetro comum, cujo bulbo fica em contato com o ar. Teremos, dele, portanto, a temperatura do ar. Note que podem ser utilizados outros sensores similares aos termômetros de bulbo, como os termopares.

Termômetro de bulbo Úmido Natural — é um termômetro cujo bulbo é recoberto por um pavio hidrófilo, o qual tem sua extremidade imersa em água destilada. Outros arranjos de sensores, pavios e reservatórios são possíveis, desde que se preserve uma boa aeração do bulbo e pelo menos 25 mm de pavio livre de qualquer obstáculo, a partir do início da parte sensível do termômetro.



Termômetro de Globo — é um aparato que possui um termômetro (ou sensor equivalente) posicionado no centro de uma esfera oca de cobre  de diâmetro de seis polegadas. A esfera é preenchida naturalmente com ar e a abertura é fechada pela rolha do termômetro. A esfera é pintada
externamente de preto fosco, um acabamento altamente absorvedor da radiação infravermelha.



Funcionalidade desses sensores para os nossos objetivos.


Portanto, concluímos: um índice que leve em conta esses sensores pode ser afetado por todos os parâmetros do ambiente que interferem nas trocas térmicas do trabalhador.

AVALIAÇÃO AMBIENTAL E EXERCÍCIOS PRÁTICOS

 Índice de Bulbo Úmido – Termômetro de Globo (IBUTG)

A sobrecarga térmica pode ser avaliada, entre outros, pelo índice chamado IBUTG (Índice de Bulbo Úmido — Termômetro de Globo), que também é o índice legal, conforme previsto na NR-15.

Esse índice deve ser medido pelos sensores :
Tbs - Termômetro de bulbo seco
Tbn - Termômetro de bulbo úmido natural
Tg - Termômetro de globo

O IBUTG para ambientes internos sem carga solar é calculado a partir da medição de duas Temperaturas: Tbn e Tg

IbUTG = 0,7 Tbn + 0,3 Tg

Para ambientes externos com carga solar, o IBUTG é calculado a partir de três medições:
 Tbs, Tbn e Tg

IbUTG = 0,7 Tbn + 0,2 Tg + 0,1 Tbs

O IBUTG leva ainda em consideração o tipo de atividade desenvolvida (LEVE, MODERADA e PESADA), que pode ser avaliada por classe ou por tarefa (quantificando a tarefa em kcal/h.).

A legislação prevê um regime de trabalho (Trabalho/Descanso) em função do valor do IBUTG e do tipo de atividade para duas situações: regime de trabalho intermitente com períodos de descanso no próprio 
local e regime de trabalho intermitente com descanso em outro local.Os tempos de descanso são períodos trabalhados para todos os fins legais.


Neste caso, faz-se uma avaliação do ponto de trabalho, que é o mesmo local físico do ponto de descanso. Com os valores de Tbn e Tg, calculamos o IBUTG e, considerando o tipo de atividade, verificamos como nos situamos no Quadro 3. Pode ser possível trabalho contínuo, ou um regime de trabalho – descanso, ou não ser permitido trabalho sem medidas de controle.

É importante esclarecer que, utilizando-se a Tabela I do Anexo III da NR-15, temos:

• A aplicabilidade para “descanso no próprio local” deve ser entendida como esse descanso ocorre no MESMO PONTO FÍSICO EM QUE OCORRE O TRABALHO, e não no “mesmo recinto”. Significa
que o trabalhador estará submetido ao “mesmo IBUTG” de quando trabalha. Quando há fontes radiantes, diferenças pequenas de posição (0,5 m a 1,0 m) podem mudar dramaticamente a temperatura de globo e o IBUTG.

• Se houver alteração do IBUTG, por alteração da posição física do trabalhador, a Tabela I não se aplica.

• São poucos os casos em que realmente seria aplicável a Tabela I.

Regime de Trabalho Intermitente com Descanso em Outro Local

Nesse caso, calculamos o IBUTG do ambiente de trabalho e o IBUTG do ambiente de descanso e, com esses valores, calculamos o IBUTG médio da atividade analisada, ponderado no tempo. Os tempos de
trabalho e de descanso devem sempre somar 60 minutos,isto é, todas as considerações do índice se referem a análises sobre períodos de uma hora corrida, devendo ser essa hora a mais crítica da jornada.
Calcula-se também o metabolismo médio e usa-se a tabela II, que nos fornece o máximo valor IBUTG médio ponderado admissível correspondente ao metabolismo médio ponderado da situação.






 M = Taxa de metabolismo média ponderada para uma hora
 IbUTG = IBUTG médio ponderado para uma hora.
 T = Trabalho D = Descanso M = Metabolismo



Agora alguns EXERCICIOS ....

1) Um padeiro opera um forno labora em condições salubre ou insalubre?
De acordo com o seguinte ciclo: 3 min p carregar o forno, 4 min esperando na boca do forno e 3 min descarregando o forno. O ciclo se repete de 60/60min de jornada.

Etapa 1 resultados obtidos 
tg=34ºC tbn= 24ºC tbs= 27ºC

Etapa 2 definir atividade = moderada

Resolução

Etapa 3 = Definir o ciclo de atividade 
o clico é :       3 carrega
                +   4 espera
                     3 descarrega   
                     10 min

Etapa 4 - quantas vezes o ciclo se repete em 60 min
60 / 10 = 6 ciclos  

Etapa 5- calcular o tempo trabalho 
                     3 carrega
                +   3 descarrega   
                    6 min   x 6  ciclos  = 36 min

Etapa 6 - calcular o tempo de descanso 
 4 min  x 6 ciclos = 24 min 

ciclo de avaliação = 36+24= 60 min

Etapa 7- Calcular o IBUTG
IBUTG = 0,7 tbn + 0,3tg
IBUTG = (0,7.24) + (0,3.34)
IBUTG =  16,8 + 10,2
IBUTG = 27ºC



Atividade moderada 27ºC Quadro I o regime de trabalho deverá ser 45 min e 15 de descanso
 O ciclo de trabalho realizado em 36min e 24 min de descando, em 60 min é compatível com o permitido de 45 min trab 15 de descanso, donde se conclui que o operador labora em condições salubres.

2) Em um ambiente externo de trabalho com carga solar foram realizadas medições de temperatura e foram obtidos os seguintes resultados:
- temperatura de bulbo umido natural - 33,1ºC
- temperatura de globo - 33,4ºC
- temperatura de bulbo seco 42ºC
Diante dos valores anteriores, o valor IBUTG é :
a) 34,05ºC
b) 33,19ºC
c) 34,91ºC
d) 35,77ºC
e) 36,01ºC

Resolução 
NR15 anexo 3
Ambientes externos com carga solar 
IBUTG= 0,7 tbn + 0,1 tbs + 0,2 tg
IBUTG=  (0,7 x 33,10) + (0,1 x 42) + (0,2 x 33,4)
IBUTG= 23,17+4,2+6,68
IBUTG= 34,05º C
RESPOSTA LETRA - A

3) A NR 15, anexo nº 3 ( Limite de Tolerância para exposição ao calor, estabelece que o regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço não é permitido trabalho em atividade leve, sem adoção de medidas adequadas de controle. em relação ao limite de tolerância ao calor , a quantos graus celsius esse tipo de trabalho não é permitido?
a) 30,0ºC
b) 31,2ºC
c) 31,5ºC
d) 32,2ºC
e) 33,1ºC

Resposta letra - D





8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. na questão 1, tem que tirar o metabolismo! Você não acha?

    ResponderExcluir
  3. O Metabolismo só entra na análise quando o período de descanso for em outro local de trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Só tenho uma dúvida, na Etapa 7 o Tg não multiplicaria por 36?
    (IBUTG = (0,7.24) + (0,3.34))
    e sendo assim o resultado final seria
    IBUTG= 27,6ºC
    Desculpa se estiver enganado!

    ResponderExcluir
  5. Na questão 3)

    A NR 15, anexo nº 3 ( Limite de Tolerância para exposição ao calor, estabelece que o regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço não é permitido trabalho em atividade leve, sem adoção de medidas adequadas de controle. em relação ao limite de tolerância ao calor , a quantos graus celsius esse tipo de trabalho não é permitido?

    Como é acima de 32,2ºC a resposta certa não seria a E 33,1ºC ?

    pois respondi uma prova com esta mesma questão marcando a Letra D 32,2ºC e o professor falou que estava errada!
    ???

    ResponderExcluir
  6. Prezado, entendo que ao calcular o IBUTG, o resultado é adimensional, você não pode dizer que o resultado do índice é em graus celsius! É um índice e não a temperatura! Se observar o quadro, não é inserido em graus! As temperaturas são multiplicadas por pesos, e por isso, ao final, você tem um índice moderado por cada temperatura.

    ResponderExcluir